Dívida Como Estilo de Vida


A indústria da propaganda tem feito um trabalho fantástico de convencer a todos que os pagamentos são a nova moeda. É hoje considerado antiquado economizar para alguma coisa antes de comprá-lo. Gratificação instantânea está se tornando a norma para os jovens. Aqueles que economizam e pagam em dinheiro são uma espécie em extinção.

Se você entrar em uma concessionária de carros e tirar seu talão de cheques para pagar um carro, eles ficarão provavelmente muito decepcionados. Isso porque uma grande parte de seus lucros da venda do carro vem do financiamento. Nos EUA, por exemplo, o financiamento e seguro contribuem com mais de 28 por cento do lucro. Mas isto irá custar os olhos da cara em juros do proprietário.

Se você entrar em uma loja, você será solicitado para se inscrever no seu cartão de crédito da loja. Não importa se você está em uma loja chique ou nas Lojas Americanas. Os vendedores são treinados para tanto já que é o cartão de crédito aumenta os lucros da loja. Ele aumenta as vendas em volume, receita proveniente de juros e preço médio por venda.

Juros são uma despesa grande

Se você já olhou para o detalhes de seu empréstimo imobiliário você rapidamente percebe que muito do dinheiro vai para pagar os juros do que para pagar o principal. Isto é especialmente verdadeiro nos primeiros anos em um empréstimo de 30 anos. Casais jovens têm o pagmento da prestacao da casa e dos automóveis ao mesmo tempo. Adicione o saldo de cartões de crédito e os juros provavelmente serão a sua maior despesa mensal.

Se a maioria das pessoas investisse apenas metade do dinheiro que pagam em juros a cada mês, poderiam facilmente ser milionários. Em vez disso, tornam-se uma fonte de renda estável e confiável para os bancos. Quando penso nisso me lembra do filme  Matriz. Mas ao invés das pessoas serem cultivadas pela sua energia elas são  cultivadas pela sua renda. No entanto elas são passam a sua vida  inconscientes disso.

Os pagamentos aumentam o risco

O maior problema com pagamentos é o risco que eles criam na vida das pessoas. Qualquer perda inesperada de rendimentos ou um aumento em suas despesas provoca pânico, porque eles têm muito pouco de renda sobrando. Se ficar doente ou perder o emprego, os pagamentos continuam chegando e eles não podem se manter. O seu rendimento futuro já está tem destino certo, mesmo em caso de perda do rendimento. Isso cria um monte de estresse, que pode causar problemas de saúde e contribuir para o divórcio.

Como reduzir os pagamentos

É praticamente impossível para pessoas da classe trabalhadora viver uma vida normal, sem alguma forma de pagamento. Mesmo evitando comprar casa, eles ainda vão ter que pagar aluguel. No entanto, é fácil evitar os piores tipos de pagamentos, com juros altos e pouco benefícios para o consumidor. Aqui estão algumas idéias para manter os pagamentos baixo.

Coisas que ajudam:

  • Trocar de carro com menos frequência
  • Compre carros usados em vez de novos sempre que possível
  • Comprar uma casa cuja prestação custe menos de 30% de sua renda mensal

Coisas que prejudicam:

  • Evite cartões de crédito a menos que eles possam ser pagos na íntegra
  • Evite empréstimos clandestinos e outros com  alta de juros

Moral da estória

Pagamentos e dívidas diminuem o nosso estilo de vida. Quanto mais as pessoas evitam dívidas, mais dinheiro têm disponível para o futuro. Quanto mais eles evitam interesse, mais eles podem comprar com o mesmo nível de renda.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *