Renda proviniente de juros nos fazem sentir bem. Ou, em termos de ações, dividendos. Quase todos mundo entende o que é juros, porque eles são pagos junto com empréstimos ou sâo ganhos em contas de poupança.

Se você já usou empréstimo para compra de carro, um dos itens que você olha primeiro é a taxa de juros. Todos nós entendemos que quanto maior a taxa de juros, mais dinheiro vamos pagar no final das contas. Mas talvez haja alguns aspectos sobre taxas de juros que você ainda não saiba.

Juros simples não é tão simples quanto você pensa

Juros simples (ou “juro simples” como dizem alguns) é o tipo mais fácil de entender. Se você emprestou a um amigo R$ 100 e disse-lhe que quando devolver ele terá que pagar R$ 106, você cobrou 6% sobre o empréstimo. Em termos de financiamento, os juros simples é calculado multiplicando o valor do capital (100) vezes a taxa (6%) vezes a quantidade de tempo (digamos, 1 mês) 100 X 0,06 X 1 = R$ 6. Muito fácil.

Mas os bancos são muito mais espertos do que isso. Eles não vão dar-lhe R$ 10.000 para um carro e cobrar 6% a cada ano distribuído entre juros e capital. Os juros são pagos no começo para o caso de você querer quitar os R$ 10.000 mais cedo. Se você olhou para a tabela de pagamentos que veio com os seus documentos de empréstimo terá notado que nos primeiros anos do empréstimo você paga mais juros e que no final é quase só capital. A tabela de pagamentos disseca o pagamento total por mês e mostra por mês quanto está sendo pago em juros e em capital.

Mas voltando ao assunto, isto está longe de ser “simples”.

Se você possui alguns investimentos de renda fixa o pagamento de juros para você é pago por meio de fórmula de juros simples. Você pode reinvestir seus dividendos se quiser, mas não será composto dentro do próprio investimento.

Os juros compostos são mais simples do que você pensa

Os juros compostos são mais difíceis de calcular e para o propósito deste artigo, a forma como é calculado não é muito importante. Há uma oferta infinita de calculadoras de juros compostos e não se preocupe com detalhes.

Aqui vai o que você precisa saber: a menos que você esteja lidando com quantia de dinheiro de seis dígitos ou mais, o tipo de juros compostos não é importante. Vejamos um exemplo:

Digamos que você tem investimento de R$ 50.000 em 5% de juros que é composta mensalmente. Depois de um ano você terá em sua conta de R$ 52,558.09.

Agora, vamos dizer que você tem o dinheiro no mesmo tipo de investimento de um banco diferente, mas com juros compostos diariamente. Depois de um ano você terá em sua conta de R$ 52,563.37. Só R$ 5 a mais.

Embora muita gente fique comparando diferentes tipos de juros compostos na realidade ela faz uma diferença muito pequena. Alguns podem argumentar que se você está investindo há 30 anos essa diferença de R$ 5 vira uma bola de neve. É verdade?. Em 30 anos ela se tornaria 674 reais, mas a inflação desses 30 anos de inflação tornam essa diferença irrelevante.

Não conte com juros compostos

Não há dúvida de que quando você reinvestir seus retornos a longo do tempo a composição fará maravilhas. Você tem que contar com os juros compostos para aumentar o dinheiro reservado para a sua aposentadoria.

No entanto, você não pode usá-la como uma desculpa para não tomar parte ativa na gestão do seu plano de aposentadoria. Se os mercados enfretarem outra crise, os juros compostos não irão salvá-lo se você está perto da aposentadoria.