O Que São Posições Longas e Curtas No Mercado de Futuros


Uma coisa que separa os especuladores competentes dos iniciantes é a capacidade de tomar posições curtas. Dizemos que quando compramos alguma coisa temos uma posição longa. Se, em seguida, vender algo de volta você está zerado – o que significa que não tem nenhuma posição aberta no mercado. Se for estiver zerado e vender algo que não tem você estará em “curta” – você tem uma posição negativa no par de moedas em questão. Quando compra de volta o que nunca teve, fechando a posição curta, você “comprou para cobrir” ou apenas “cobriu” a sua posição curta e estará de novo zerado.

Todo este negócio de curta pode parecer um pouco estranho se a sua experiência em trading se resume a investimento de ações convencional. Pode até parecer perigoso mas a realidade é que na maioria dos mercados não há nada de errado em tomar uma posição curta se assim o desejar. Na verdade muitos mercados deixariam de operar se ninguém tivesse posições curtas.

A maneira mais fácil de entender estratégia de posições curta é se afastar de ações por um segundo e falar sobre o mercado de futuros, que são derivativos, um tipo de contrato. Vamos dizer que sou uma refinaria – refino petróleo em gasolina. A fim de operar o meu negócio, tenho que ter petróleo para refinar. Não apenas hoje mas no futuro também. Faço então um contrato com alguém que possui poços de petróleo para fornecer petróleo em alguma data no futuro – por exemplo, o dia primeiro do próximo mês. Em contrapartida, quando o petróleo é entregue, vou pagar um preço pré-determinado. Este tipo de acordo para entrega futura é algo comum no mundo negócios.

Outra maneira de pensar sobre esse contrato de petróleo é que a refinaria adotou a estratégia longa para o petróleo ou mais especificamente, petróleo futuro, através da troca de dinheiro por ele. O dono do poço, por sua vez, adotou uma posição curta sobre petróleo futuro e recebe dinheiro por isso. Neste caso, a refinaria vai voltar a uma posição zerada já que irá refinar o petróleo ao invés de revende o petróleo. Da mesma forma, o operador do poço vai ficar zerado, produzindo o petróleo a partir dos poços. O ponto-chave aqui é que você não pode ter esse tipo de negócio sem a capacidade de assumir posições curtas e longas.

Para simplificar, a maioria das commodities são negociadas sob a forma de contratos de futuros, conforme descrito acima, mas estes contratos são padronizados. A quantidade, qualidade, local de entrega e prazos de entrega são padronizados. O que sobra de variável é o preço. Além disso, os contratos são garantidos por uma câmara de compensação central. Por isso, se uma das partes viola o contrato a câmara vai tomar providências. Isso faz os contratos intercambiáveis entre si e, como resultado, os contratos podem ser negociados em um mercado de leilões assim como em bolsa de valores de ações.

Se você pensar um pouco mais sobre o exemplo de petróleo acima, você pode perguntar o que acontece se o refinador quer comprar em um momento diferente do que o operador quer vender. Ou em uma quantidade diferente. Não há nenhuma garantia de que haverá uma contraparte para corresponder exatamente. Com quem, então, eles estão negociando? Resposta: com um especulador.

Assim como o supermercado que compra feijão de um agricultor sem ter um comprador comprometido a comprar o feijão no supermecado dele, um especulador pode muito bem ter uma posição longa de petróleo permitindo assim que o operador de poço tenha uma posição curta. Fica para o especulador encontrar um comprador para o petróleo. Mas e se a refinaria chegar ao mercado primeiro e quiser comprar petróleo que não está à venda ainda? Nesse caso o papel do especulador é tomar uma posição curta de petróleo prometendo ao refinador encontrar uma fonte a tempo. Assim, a fim de fazer o seu trabalho, o especulador deve ser capaz de ter tanto para posições curtas como longas.

Em mercados de derivativos em que o objeto sendo negociado é um contrato (como acima), cada contrato tem sempre um lado curto e um longo. Dito de outra forma, a soma das posições é zero. Se todo mundo fechar suas posições não haveria nada sobrando. Mercados de derivativos tornam fácil tomar posições curtas porque caso contrário o mercado não funcionaria.

O oposto de um mercado de derivativos é o mercado “spot” – um mercado para algo tangível disponível no momento da transação. O mercado acionário é um mercado spot. Se você comprar ações, você realmente obtém as ações. Mercados spot complicam o curta porque, ao contrário dos compradores do mercado futuro, em um mercado spot a entrega tem que ser imediata. O que isto significa é que, a fim de tomar posições curtas em um mercado spot, você deve ser capaz de emprestar o que está vendendo. E este empréstimo pode muito bem ter um custo – há muitas pessoas dispostas a emprestar-lhe ações, mas ninguém disposto a emprestar gratuitamente. Esses acordos de empréstimo pode ficar complexos – por exemplo, o item emprestado deve ser devolvido em um curto espaço de tempo se o dono quiser vender.

Uma coisa a notar é que, diferentemente de derivativos, mercados spot não necessitam de curta para o mercado a funcionar. Como a existência do bem deve existe para que ele seja negociado, a estratégia de curta não é necessária.

Há mais a ser dito sobre curtas mas vou deixar para outras ocasiões. Mas eu quero deixar duas palavras de cautela agora. A primeira é que as posições de curta frequentemente têm risco ilimitado – enquanto o preço de um bem pode não pode ir além do zero, ele pode, em teoria, aumentar para um valor alto. Isto significa que, em teoria, uma posição curta pode produzir perdas infinitas. Isso precisa ser levado em consideração quando entrar em posições curtas. Em segundo lugar, muitos operadores uma vez que adquirem a capacidade de operar em curta se apaixonam por ela. A estratégia é uma ferramenta valiosa, mas não esqueça que durante longos períodos de tempo a maioria dos produtos aumenta de preço. Essa estratégia aposta contra essa tendência e assim sendo, a longo prazo muito da posições curtas acabam perdedoras. Essa estratégia é uma ferramenta específica para circunstâncias específicas e não deve ser usada apenas porque você pode.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *