Minimizando Riscos de Investimento


A primeira coisa que os planejadores financeiros fazem quando eles têm novos clientes é investigar a tolerância ao risco. Alguns deles também vão dar-lhe um questionário para avaliar quão conservador ou ambicioso você é quando se trata de investir o seu dinheiro.

A tolerância ao risco é uma forma elegante de descrever se você está mais confiante em colocar seu dinheiro onde você possa obter ganhos previsíveis mas modestos (tipo conservador) ou apostar em ganhos potencialmente muito maiores com o risco de perder parte ou todo o seu investimento inicial (tipo ambicioso).

Muitos fatores afetam a sua tolerância ao risco. Se você está a anos de distância da aposentadoria, provavelmente está interessado em fazer seu dinheiro crescer mais rapidamente, o que requer uma estratégia de investimento mais agressivo.

No entanto, se está à beira da aposentaria e está contando com o dinheiro que tem para manter o estilo de vida, você está mais interessado em proteger o dinheiro. Neste caso você deverá ir para uma carteira mais conservadora.

Depois de saber qual a sua tolerância ao risco, você pode se concentrar em minimizar o seu risco – educando-se e cultivando uma visão de longo prazo.

Saiba no que você está se metendo

Educar-se é o passo fundamental para minimizar o risco. O multi bilionário americano Warren Buffett é tido como um gênio do investimento mas é muito fácil entender quando diz “nunca invista em um negócio que você não entende” .

O sucesso de Buffett deriva em grande parte de sua vontade de educar-se sobre onde ele está colocando seu dinheiro. Se ele não sabe como um negócio dá lucro ou se o modelo de negócio não faz sentido para ele, ele deixa de lado. Isso não quer dizer que ele nunca fez um mau investimento. Mas seu histórico de feitos é a marca de todos os investidores do mundo que almejam alcançar e ele criou este estilo, seguindo o princípio de educar-se sobre cada investimento que ele considera.

Desenvolva uma visão de longo prazo

Você pode isolar-se dos caprichos diários dos mercados, lembrando-se de seus objetivos a longo prazo. Na verdade, alguns especialistas recomendam não acompanhar o mercado de ações mais de uma vez ou duas vezes por trimestre. É psicologia simples: o declínio dos mercados instila o medo, que o atenta a vender baixo e mercados em alta instila excesso de confiança que encoraja a comprar alto – é uma maneira infalível para perder dinheiro.

A empresa de Buffett, Berkshire Hathaway, aperfeiçoou as perspectivas de longo prazo.  Na verdade, o oráculo de Omaha é muitas vezes citado com a frase “nosso período de retenção favorito é a eternidade.” Seu conselho para os investidores individuais: “só compre algo com o qual você ficaria perfeitamente feliz se o mercado fechasse por dez anos”. Em outras palavras, o investimento é para o longo prazo, não para lucros rápidos.

A outra razão para ignorar o desempenho de curto prazo é que, historicamente, o mercado de ações sempre se recuperou de momentos ruins e disparou para novas alturas. Claro, ninguém, nem mesmo Warren Buffett, pode prever o que vai acontecer em 10, 20 ou 50 anos a partir de agora, mas as chances são muito boas que, mesmo seu investimento perdendo 10 por cento de seu valor hoje, ele se recuperará e ganhará a longo prazo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *