De acordo com algumas pesquisas, uma em cada cinco pessoas pensa que ganhar loteria é a forma “mais prática” para ficar rico. Entre aquelas com renda baixa, o número de pessoas que enxerga a lotofacil como sua melhor esperança para fazer milhões dobra.

Não importa qual seja a sua situação financeira agora, há uma abundância de coisas que você pode fazer para torná-la melhor agora e no futuro. Mas a atração da loteria é forte e algumas pessoas realmente ganham na loteria.

Uma das questões, porém (e há muitas questões, como se aposta é parte fundamental de sua estratégia de construção de riqueza) é como lidar com tanto dinheiro após ganhá-lo. Muitas vezes, a riqueza súbita torna as pessoas normalmente prudentes em imprudentes; dentro de alguns anos, o dinheiro terá desaparecido e os vencedores estarão em pior situação financeira do que estavam antes de ter essa “sorte”.

Há o lado pessoal também que a riqueza súbita traz, que pode ter um preço tão alto (ou um preço ainda maior do que) o lado prático. Neste artigo, vamos mostrar as armadilhas que podem acompanhar um grande ganho e como evitá-las. Vamos discutir os aspectos emocionais de ganhar uma fortuna e como esses aspectos podem ajudar ou prejudicar seu futuro financeiro.

Em primeiro lugar, porém, queremos apresentar-lhe a um vencedor da loteria nos EUA que deu certo e fez tudo direito, assim, você poderá extrair algum aprendizado do seu exemplo.

Lidando com a Riqueza Súbita

Quando tinha 33 anos, John voltou de seu horário de almoço e conferiu seus números da loteria. Em segundos, ele viu que tinha ganhado uma parte do grande prêmio da Loto de Nova Iorque de US$ 10 milhões.

“Eu olhava para a máquina e dizia: Tudo bem, eu tenho um número. Ah, eu tenho dois. Ah, bom, eu tenho três — eu ganhei alguma coisa. Espere, quatro. O que? Cinco? Realmente? Cinco? Inicialmente você não acredita”, disse John. “Acredito que agi um pouco diferente da maioria das pessoas, porque (a) eu tinha que voltar a trabalhar e (b) tinha firma em mente aquilo que meus pais me ensinaram sobre negócios e dinheiro”.

John assinou seu bilhete, colocou-o em um cofre e conversou com um contador e com um advogado antes de sair para reivindicar seu prêmio. Sua parte do prêmio foi de US$ 2 milhões, distribuídos, em parcelas anuais durante 20 anos (porque Nova Iorque não oferece a opção de receber o pagamento em uma vez só). Seus recebimentos anuais eram de US$ 100.000 antes de deduzir impostos e, durante a maior parte do tempo em que ele recebeu seus cheques, os impostos não eram automaticamente deduzidos.

“Isso é algo que muitas pessoas não percebem. Sim, eu tenho um cheque de US $100.000, mas eu tive que devolver US$ 50.000 dólares no final do ano. Além disso, o dinheiro que eu recebi da loteria me colocou em um patamar de imposto mais elevado”, diz John.  “Deduzindo todos os impostos, eu recebia US$ 47.000 por ano da loteria.”

Que é um salário decente, especialmente na área rural da maior parte de Nova Iorque central, onde John vive, mas “Eu não poderia considerar-me um milionário com este rendimento”, disse ele. Dois anos depois que John ganhou na loteria, ele e seu primo Lance adicionaram um depósito de madeira aos negócios de ferragem da família. Todos assumiram que Joe havia utilizado seus ganhos na loteria para financiar o depósito, mas isso não era verdade.

Nem um centavo do dinheiro da loteria entrou no negócio de construção. “Fizemos o que todo mundo faz. Fomos para o banco e obtivemos um empréstimo e o resto foi tudo suor e sangue da família.”

Os ganhos de loteria — depois de pagos os impostos — foram investidos no futuro e é onde eles permanecem até hoje, disse John. Ele nunca tentou viver fora de seu padrão e ele não usou o dinheiro para cair em armadilhas da riqueza — ou até mesmo os seus “brinquedos” de adulto.

“Claro que o dinheiro me ajudou. Ele tornou a minha vida mais fácil e eu tenho coisas boas, em parte, por causa dele”. Mas também atribuo isso a muito trabalho duro, disse ele. “O dinheiro tirou muito da preocupação de ter que pagar moradia e ajudar minhas filhas com a faculdade e coisas desse tipo”.

Notícias sobre o ganho na loteria espalharam-se rapidamente por sua pequena comunidade e ele ganhou muita atenção indesejada, especialmente no início. Um pastor Batista entrou na sua loja uma ou duas semanas depois que John ganhou o prêmio e pediu-lhe para doar a maior parte do dinheiro à Igreja. John relembra: “Ele pensou que eu tinha ganho o total de US $10 milhões e me disse: ‘Ninguém precisa de mais de US $1 milhão”. “Respondi que não tinha ganho tanto e que, sendo católico, se eu tiver que doar o dinheiro para uma Igreja, eu vou doar para a minha própria Igreja”.

Essa não foi a última das solicitações de dinheiro. Nos primeiros dois anos depois que Jonh ganhou o prêmio, ele recebeu centenas, talvez milhares, de ligações e cartas de pessoas que queriam que ele educasse seus filhos, pagasse por seus cuidados médicos ou simplesmente entregasse o dinheiro a eles para pagar as contas. Antigos colegas e conhecidos apareceram magicamente, cheios de conversa fiada sobre as aulas e as travessuras que John mal se lembrava. Ele foi amolado por pessoas que queriam gerenciar seu dinheiro e por pessoas que queriam investir em seus fundos ou empresas. Empresas especializadas em converter pagamentos anuais em um grande montante foram uns dos que mais ligaram, assim como várias igrejas e instituições de caridade.

Os mais difíceis de lidar, porém, foram seus amigos, disse John. “Posso dizer honestamente que eu não mudei. As pessoas ao meu redor sim”, diz ele, ecoando um sentimento comum entre os ganhadores de loteria. “Eu perdi alguns amigos com isso”. Havia as inevitáveis solicitações para emprestar dinheiro — “e nunca era US$ 10 ou US$ 20 — era US$ 500 ou US$ 1.000″ que nunca eram devolvidos. John ficou irritado. Então ele começou a dizer “não”.

“Eles não percebem que, quando eu lhes dava US $500, não era o dinheiro da loteria — era o dinheiro eu havia trabalhado duro para conseguir,” disse John. “O dinheiro da loteria é para investimento. O dinheiro que tenho comigo é o do meu trabalho. Mas todos pensavam que era dinheiro de loteria e eu acho que eles acreditavam que como ele foi dinheiro achado, eles não tinham que me pagar de volta”.

Ele parou de socializar por um tempo porque cada vez que estava fora com seus amigos, eles o apresentavam como um ganhador da loteria. “Eu não gostava disso”, disse John. “Eu sempre fui um tipo discreto de pessoa e eu queria permanecer assim. Quando estranhos sabem que você ganhou na loteria, você nunca pode dizer se querem sair com você porque você é um cara legal ou porque eles acham que você tem dinheiro.”

Finalmente, seus amigos pararam de rotulá-lo como o ganhador da loteria, em público ou em suas próprias relações com ele. John disse que “eles finalmente superaram isso”. “Mas demorou alguns anos”.

Como a maioria dos ganhadores de loteria nos Estados Unidos, John foi condecorado como novo milionário quando requisitou seu prêmio. Mas, devido à forma como seus ganhos foram estruturados, ele recebia somente cerca de US$ 47.000 por ano da loteria – nem perto de ser uma quantia ilimitada de dinheiro.

Infelizmente, muitos ganhadores de loteria (e de casinos, neste caso) se encantam com a atmosfera festiva que acompanha um grande ganho e fica difícil ver as pedras no caminho quando se tem cifrões – nos seus olhos. Se todos à sua volta ficam dizendo “Parabéns, você é um milionário!” você pode ser perdoado em pensar “Opa, eu sou um milionário!”. Afinal, soa muito melhor do que dizer “Opa, eu tenho US$ 47.000!”

Mas, soando bem ou não, a segunda frase é mais próxima da realidade que a primeira. Mesmo que você ganhe US$ 1 milhão num caça-níquel de casino e pegue o dinheiro de uma vez só, nos Estados Unidos você receberá apenas cerca de US$ 500.000 depois dos impostos. E embora isso não deixe de te fazer feliz, está longe de lhe proporcionar a independência financeira.

Então como você faz pra deixar toda a badalação de lado pra não subir à cabeça? Dê um tempo, contrate ajuda profissional, fale com sua família e implante um plano de gestão.

Dando um tempo

John fez a coisa certa quando colocou seu bilhete premiado da loteria num cofre e voltou ao trabalho. Ao invés de correr solicitar o prêmio, ele deu a si mesmo um tempo para pensar sobre o que significava ganhar aquele dinheiro.

Os especialistas recomendam o método “não fazer nada” para qualquer um que ganhe dinheiro inesperadamente. Principalmente se você não está
acostumado a ter dinheiro, a súbita riqueza pode oprimir suas emoções e processos de pensamento. Você está num nível de fragilidade único, e é fácil para os outros – mesmo sua família e amigos – tirarem vantagem de você nessas condições.

Se você tem um bilhete premiado de loteria faça uma cópia. Coloque o original e a cópia em lugares diferentes. Desse jeito, se você perder o original, tem como provar que que você comprou o bilhete.

Se você não pode fazer o que John fez e esperar alguns dias para solicitar o prêmio – por exemplo, você tem que levar o prêmio quando sair do casino – faça a segunda melhor coisa e guarde o dinheiro numa conta diferente no seu banco. Não misture com sua conta corrente ou poupança, nem a uma conta com cartão de débito ou crédito. Apenas deposite o dinheiro e deixe ele lá por um tempo até que você tenha um plano.

Este também é o tempo que você para descobrir se tem a opção de manter seus ganhos em segredo ou não. John não teve escolha sobre toda a publicidade em volta de seu ganho na loteria; a coletiva de imprensa e a revelação pública do seu nome eram requisitos para requerer o prêmio.

Mas alguns ganhadores de loteria se esforçam para manter suas identidades longe dos olhos do público. Eles mandam alguém de confiança e um representante de confiança – geralmente um funcionário do banco ou um advogado – receberem o prêmio em seu nome.

Obviamente que há vantagens em manter em sigilo seu ganho na loteria. Você não terá que lidar com a imprensa e as pessoas não irão te reconhecer como o ganhador da loteria no supermercado, além de não ficarem ligando o tempo todo pedindo dinheiro emprestado. Quanto menor o círculo de pessoas cientes do seu ganho, menor será o aborrecimento que terá para começar sua nova vida com o dinheiro.

Se permanecer anônimo não é uma opção – cada loteria tem suas próprias regras sobre isso – defina como você vai lidar com a publicidade. Alguns ganhadores designam um parente ou um representante, como um advogado, como porta-voz para responder perante a mídia. Muitos especialistas recomendam mudar seu número de telefone para um sigiloso (não apenas não-listado, pois os mais persistentes podem descobrí-los mesmo assim) e sair da cidade por algumas semanas ou meses, até que o barulho se acalme um pouco.

Buscando conselho profissional

Antes de tomar qualquer atitude com o seu ganho, consulte um contador, um planejador financeiro ou um advogado, para assegurar que você entendeu tanto suas opções quanto as alternativas legais de sua riqueza súbita.

John diz que consultar um contador e um advogado depois de solicitar o prêmio o ajudou a entender exatamente o que ele podia fazer com o dinheiro – e o que não podia. “Há muitas responsabilidades em gerenciar aquele dinheiro”, diz ele. “Se não tiver a orientação certa, posso ver como as pessoas torram tudo que ganharam e nem sabem como isso aconteceu. Isso pode realmente arruinar sua vida.”

Um conselheiro profissional pode lhe ajudar a lidar com os aspectos numéricos de sua nova riqueza – suas obrigações tributárias e como seus ganhos irão afetá-las, as responsabilidades que terá ao comprar uma casa maior e assim por diante.

Conversando com sua família

A riqueza inesperada pode ter um impacto devastador em suas relações pessoais. Você já ouviu histórias de ganhadores de loterias cujos cônjuges requisitaram judicialmente parte do prêmio, de parentes que contrataram pistoleiros na tentativa de ficar com o dinheiro ou de parentes que convenceram o ganhador a investir em negócios duvidosos. Essas coisas realmente acontecem, principalmente porque dinheiro mexe profundamente com o emocional da maioria das pessoas.

Depois de ter avaliado um pouco o panorama com seu conselheiro profissional, é hora de sentar com seu parceiro ou parceira – e talvez com seus filhos e outros familiares também – para discutir o que o dinheiro significa e como ele muda os planos.

Sua família provavelmente irá sofrer um certo choque com sua riqueza inesperada, e pode ter algumas idéias “surreais” do que você pode fazer com todo esse dinheiro extra. Por isso recomendamos que fale com um profissional primeiro; aí poderá explicar aos seus familiares quanto dinheiro você realmente tem para usar.

Essa é uma boa hora para cancelar sua lista de objetivos e revê-la inteiramente. Analise quais objetivos seu ganho pode ajudar a realizar e se você quer adicionar algum outro agora que tem mais dinheiro.

Eis algumas coisas a considerar quando conversar com sua família:

  • Orçamento: Considere dividir o prêmio em partes diferentes – por exemplo, usar parte para reduzir dívidas, economizar ou investir parte dele para o futuro, e talvez usar outra parte para satisfazer necessidades imediatas ou alguns luxos como um carro mais econômico ou uma nova mobília para a casa.
  • Prioridades: Seus valores não mudam só porque sua renda muda. Se perceber que você (ou um membro de sua família) está caindo na sedução da riqueza imediata, você pode realinhar sua bússola interna revendo quais eram suas prioridades antes de ganhar na loteria. Se quitar as dívidas era sua maior prioridade um dia antes de ganhar, comprar um jatinho particular não deveria ser a maior delas um dia depois.
  • Satisfação: Parte da alegria de “achar dinheiro” é estar apto a gastar em coisas que você não poderia ou não iria comprar antes. Não há razões para que você não possa gastar um pouco do seu dinheiro, desde que não gaste mais do que o planejado. É aqui que muitos ganhadores de loteria se complicam: eles gastam como se tivessem dinheiro ilimitado e mais cedo ou mais tarde a fonte seca.

Quando estiver tentando definir quanto do seu dinheiro você pode “torrar”, tente pensar em termos de porcentagem. Se você gastar 10 porcento do seu prêmio em coisas inúteis, irá sobrar o suficiente para atender suas prioridades? E se for 5 porcento?