A Maneira Sábia de Não Colocar Todos os Investimentos Numa Cesta Só


Uma das coisas que os especialistas em investimentos sempre enfatizam é diversificar, diversificar e diversificar.

Supostamente a diversificação ajuda a melhorar a performance geral da sua carteira, já que ela não operará em um só veículo de investimento. O problema é o seguinte: com milhares de tipos de ações, títulos e fundos disponíveis, como escolher corretamente o investimento certo?

Alguns investidores podem acabar estudando diferentes empresas listadas na bolsa visando escolher a melhor ação, mas fazer isso pode simplesmente ser uma abordagem errada. Ao invés disso, um investidor deveria decidir em qual combinação de ações, títulos e fundos ele gostaria de investir. Esse tipo de estratégia é chamada de alocação de ativos.

O Que é Alocação de Ativos e Porquê Isso é Importante?

Investir sempre possui um determinado nível de risco. Quanto mais risco um investidor está disposto a correr, maiores retornos ele está propenso a conseguir. No entanto, risco é também associado a perda.

Há determinadas classes de ativos que são mais inclinadas ao risco mas também trarão maiores retornos, como também há classes de ativos que proporcionam menor retorno mas são consideradas mais seguras de forma geral.

A alocação de ativos é uma técnica de investimento que tenta equilibrar as taxas de risco e retorno por meio da diversificação. Isto é, os ativos de um investidor serão divididos em diferentes categorias como ações, títulos, fundos, dinheiro vivo, imóveis e derivativos.

Como cada classe possui diferentes riscos e retornos, cada uma delas irá se comportar de forma diferente ao longo do tempo. Alguns ativos de determinada classe podem ter uma performance boa num período específico enquanto outros podem ir mal.

Por exemplo, o mercado de imóveis local pode estar bombando, enquanto o mercado de ações pode estar passando por um período de volatilidade. A lógica por trás da alocação de ativos é que mesmo se o mercado de uma das classes de ativos estiver passando por problemas, seus ativos das outras classes ainda estarão puxando sua carteira para cima.

No entanto há investidores que julgam este método como medíocre. Contudo, a maioria dos investifores de forma geral vêem este método como a melhor proteção contra grandes perdas. Abaixo estão diferentes tipos de classes de ativos que cada investidor deve ter em sua carteira.

Escolha de Investimentos

Ações

De todas as classes de ativos, as ações são de longe as que oferecem os maiores retornos. Por outro lado, as ações também possuem um histórico de alta volatilidade, fazendo delas um dos veículos de investimentos disponíveis mais arriscados.

Cada ação oferece retornos diferentes e depende do investidor o tipo de ação que ele deseja escolher. O mercado de ações é caracterizado por uma relação direta entre risco e retorno. Quanto maior o risco que o investidor está disposto a correr, maior o seu potencial de ganho.

Apesar dos altos retornos e das perdas dramáticas, as ações vem apresentando retorno positivo desde que o investidor dê tempo para elas superarem a volatilidade do mercado. E embora cada ação tenha rendimento variado, o crescimento médio das ações é de 10 a 12%.

Títulos

Títulos em geral são considerados menos arriscados que ações. Primeiramente, os títulos dão a promessa de devolver o valor investido na compra no momento de seu vencimento. As ações não oferecem essa promessa.

Títulos também pagam ao investidor uma taxa de juros determinada, enquanto que as ações pagam dividendos se a empresa quiser. E por fim, o mercado de títulos é menos vulnerável à oscilação de preços do que o mercado de ações.

Pelo fato dos títulos oferecerem menor risco ao investidor, isso também quer dizer que este tipo de classe de ativos tráz menores retornos. Títulos podem ser emitidos pelo Governo, como o Tesouro Direto e também podem ser emitidos por Estados e empresas.

No entanto, também há títulos que oferecem maiores retornos similares às ações, mas esse títulos são também conhecidos como títulos podres que carregam alto risco. Um investidor pode ser atraído a incluir mais títulos em sua carteira especialmente se ele não tem muito tempo para superar a volatilidade do mercado de ações.

Dinheiro Vivo

Dinheiro (incluindo contas bancárias ou cadernetas de poupança) é tipo de investimento mais seguro e o que contém menos risco.

Contudo, estas contas também oferecem os menores retornos. A preocupação encarada pelos investidores nesse tipo de investimento é o risco de inflação. Isto é, o retorno oferecido por essas contas podem não superar as potenciais taxas de inflação.

Imóveis

Embora ações, títulos e dinheiro vivo sejam os tipos de investimentos mais comuns, é possível incluir os imóveis na sua carteira. O mercado de imóveis é considerado um dos tipos de investimentos mais estável e que também oferece altos retornos.

Commodities

Há ainda outras formas de ativos como pedras preciosas e alguns investidores podem considerar incluir esse tipo de ativo na sua carteira.

O ouro também vem ganhando atenção agora que o mercado de ações está tão volátil. Ao investir em ativos que sobem e descem sob circunstâncias de mercado diferentes, os investidores podem se proteger das perdas significativas.

No curso da História, os retornos das quatro classes de ativos aqui mencionadas não subiram nem caíram ao mesmo tempo. Os investidores também precisam considerar o quantidade de tempo até que planejem utilizar o dinheiro investido.

Tipicamente, aqueles que ainda são jovens e possuem tempo para se recuperar de uma queda da economia, podem investir em ativos de maior risco e retorno já que podem esperar no caso do mercado cair.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *