Poupando Enquanto Paga Dívidas


A pilha de contas está enorme, a conta bancária está vazia mas você quer mudar ambas as situações.

Quando você está empenhado em sair das dívidas e criar uma poupança, o grande debate envolve o que vem em primeiro lugar: saldar a dívida ou criar uma poupança?

Este debate é tão longo como a questão da galinha e do ovo.

Esta é minha opinião: poupe ao mesmo tempo em que paga suas dividas. A poupança é um habito e hábitos tornam-se enraizados mediante a repetição. Comece a economizar como parte do seu plano para sair das dívidas e, quando você perceber, você já estará possuindo uma pequena poupança e o hábito de poupar pensando no futuro.

Pode ser uma decisão dolorosa ver o dinheiro poupado crescer a uma taxa de 0.5% enquanto se paga 30% sobre o saldo do cartão de crédito. Você certamente irá livrar-se da dívida mais rapidamente se todo o seu dinheiro disponível destinar-se a liquidar a dívida. Há a emoção de ver as contas diminuírem.

Mas o perigo em adiar a poupança é duplo. Uma é a mentalidade que diz que você só poupa quando as condições são favoráveis: as contas estão em dia, você não tem nenhuma necessidade urgente, o tempo está bom, sua vida amorosa está prospera. Em parte estou brincando mas a questão permanece: poupar nunca é fácil e não pode esperar até que seja fácil ou conveniente ou óbvio.

Outro argumento para poupar ao mesmo tempo em que paga suas dividas é que você precisa ter uma reserva caso haja um imprevisto. Se você está atolado em dividas, não pode contar com a possibilidade de endividar-se mais no caso de uma emergência. Lembra do velho ditado de que o banco só empresta para quem não precisa?

Mesmo se você tiver crédito disponível, é desanimador ver seu saldo subir porque você teve que recorrer ao uso de cartões de crédito.

Estou no time dos que poupam um pouco do salario todos os meses. Criar um hábito que paga dividendos.


Clique aqui p/ deixar um comentário 0 comentários