Um Plano Básico Financeiro Para Quem Está Começando a Trabalhar


Muitas pessoas têm me perguntado ao longo dos anos as mesmas perguntas: o que devo fazer com meu dinheiro? Devo pedir mais emprestado e construir uma boa reputação de crédito na SPC/Serasa? Como faço para investir o que tenho? Como você criou o seu plano financeiro?

Para mim, tudo começou logo depois que consegui meu primeiro emprego. Minha mãe me deu um livro cobrindo assuntos financeiros para as pessoas com menos de 30. O título me escapa agora, mas estava voltado para o público jovem.

Depois da leitura, eu estava inspirado a começar com um plano “muito simples”. Ao abordar estas questões, estava confiante de que estava estabelecendo a base que precisava para estar em dia com minhas finanças. O plano financeiro básico que fiz tinha os seguintes pontos.

Noções Básicas de Planejamento de Finanças Pessoais – Faça Seu Próprio Plano Financeiro

Pague todas as dívidas.

Eu sou o tipo de pessoa que prefere não ter dívida alguma. Não é nenhuma surpresa então que eu defenda a posição de livrar-se da dívida tanto quanto possível. Mas se você tem dívidas, tente se livrar das ruins antes das boas. Dívida ruim envolve altos juros e bens depreciados. Dívidas boas têm vantagens fiscais, juros baixos e cobre possivelmente valorização de propriedade. Empréstimo para comprar uma casa é tipicamente é de bom senso financeiro, enquanto empréstimos via cartão de crédito deve ser algo a ser evitado.

Tento pagar meus cartões de crédito em dia todo o mês e se eu perceber que isso não será possível, paro de comprar o que não é preciso.

Algumas pessoas usam a dívida boa como uma estratégia financeira para ficar rico – o que é conhecido como ficar rico com dinheiro dos outros. Ou usando alavancagem. Estude as suas opções antes de ir por esse caminho, devido ao risco que isso implica.

Faça um orçamento.

A coisa agradável sobre orçamentos é que é algo que você inventa. Vou ser sincero – nunca realmente “orcei”. A forma mais básica que eu poupei dinheiro foi “ficar sem”. Ao longo dos anos, cortei viagens ou compras novas. Não tenho problema em usar coisas usadas e um carro comigo dura geralmente 6 anos no mínimo. Mas e o orçamento? É apenas para fins informativos. Agora, à medida que os anos passavam, me vi saindo me razoavelmente bem “ficando sem”. Assim obtive algum dinheiro extra para investir no mercado de ações. Contribuições constantes fizeram mais por mim do que ficar vigiando meu orçamento. Mas não descarto o poder de estabelecer limites também. Orçamento tem funcionado bem para muitas pessoas.

Comece um fundo de emergência com uma conta poupança.

Depois de se livrar de dívidas ruins, reserve algum valor, normalmente uns 6 meses de despesas (ou mais) para dias de chuva. Em caso de emergência, utilize os fundos para salvá-lo. Há aqueles que não têm esses fundos e decidem usar seus cartões de crédito como tal; o dinheiro que deveria ir para o fundo de emergência é gasto em outro lugar. Conheco gente que colocou todo o dinheiro que tinha no mercado acionário dizendo que o risco de uma situação de emergência valeria ser coberto com um cartão de crédito porque o dinheiro renderia melhor especulando em açõoes.

Mantenho o meu fundo de emergência em uma conta de poupança que é altamente líquida e estável. Quem sabe quando você vai precisar dela? Não seja pego de surpresa implorando dinheiro depois que um avião cair em sua casa!

Não deixe de apanhar dinheiro gratuito!

Aproveite todos os benefícios financeiros disponíveis. Se você tem um empregador generoso, use todos os benefícios de empregado a que têm direito. Verifique sobre os benefícios de sua empresa e tire proveito deles. Regalias como um plano de seguro, seguro saúde, plano de compra de ações e podem adicionar de 10% a 25% do seu salário. Não deixe de utilizar esses benefícios. Não perca dinheiro grátis!

Descubra seu perfil financeiro.

Suponha que você tenha seja bem-sucedido na manutenção de um saldo zero em cartão de crédito além de ter bastante dinheiro guardado para necessidades de curto prazo. Então você está pronto para começar a investir. Antes de se aprofundar em investimentos, saiba que tipo de investidor você é primeiro. Determine seu nível de conforto com o investimento. Quanto mais você souber sobre o quanto de risco pode aceitar, melhor você será na manutenção de um plano de investimento. A disciplina vai entrar em ação especialmente durante tempos difíceis quando o mercado enlouquece.

Dica: para algumas pessoas, conhecer o seu perfil financeiro realmente significa analisar seu comportamento em relação ao dinheiro. Você pode se perguntar: sou um gastador, devedor, poupador ou investidor? Conhecer seus pontos fortes e limitações pode ser o primeiro passo para melhorar o seu quadro financeiro.

Conheça os seus objetivos financeiros.

O que você gostaria que seu dinheiro fizesse por você? Além de pagar custo do seu dia-a-dia, sobrevivência ou mesmo luxos, se você for como a maioria das pessoas, você gostaria de descobrir uma maneira de ter dinheiro para comprar itens mais caros que todos sonham em ter. A maioria das pessoas gostaria de ter dinheiro para:

  • Comprar uma casa
  • Para para seus filhos e sua educação
  • Construir seu plano de aposentadoria
  • Crescer indefinidamente (sem objetivos concretos reais aqui)

Se sabe para que está economizando e investindo, então você vai ser capaz de determinar que tipo de investimentos fazer. Cubra seus objetivos de curto prazo com produtos de curto prazo como contas de poupança e títulos de médio prazo. Metas de longo prazo podem ser cobertas por fundos de ações, ações individuais, títulos de longo prazo, REITs e investimentos mais agressivos.

Infelizmente, nem todos são capazes de gerar dinheiro para financiar todos esses objetivos. As vezes, você vai precisar fazer sacrifícios. Mas eu acredito que é preciso ter um sonho.

Invista em uma carteira diversificada.

Uma vez que você tiver alocado fundos para investimentos, dê uma olhada em ações, títulos e imóveis. Eu começaria com fundos mútuos. Entre em investimentos mais avançados só depois que você ganhar alguma experiência em investimentos e sobreviver por alguns tempo no mercado. Estou muito feliz com vários fundos mútuos e ETFs (Exchange Traded Funds). Investimento em imóveis exige mais dinheiro e coragem (a menos que você esteja usando REITs). Tente fazer isso quando você tiver mais capital.

Existem outras questões financeiras a levar em conta: por exemplo, ter seguro o suficiente e criar de um planejamento de patrimônio também devem pertencer a um plano básico. A maioria das pessoas que começam não se preocupam com estas questões, especialmente se elas recebem o seguro médico de seu empregador. Mas em algum ponto, você vai querer se aprofundar nestas questões.

Foi assim que eu tracei o meu futuro em meus 20 anos. Uma vez que você tenha seu próprio plano, então é tudo uma questão de execução! E é aí que está a dificuldade. A boa notícia é que para muitos de nós, há várias décadas ou até mesmo uma vida inteira para colocar esse plano em ação.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *