Se Tem que Pensar se Pode Pagar é Porque Você não Pode


Pare por um momento e pense na última vez que você comprou um café no seu caminho para o trabalho ou ficou na frente de uma banca de jornal decidindo sobre que revista comprar. Você se perguntou se poderia ter recursos para esta compra? Claro que não. Gastar algumas moedas com café pode não ser o melhor uso desse dinheiro, mas você sabe inconscientemente que esta compra não vai quebrar seu orçamento ou influenciar sua segurança financeira para o resto do ano.

Agora pense novamente por um minuto e veja aquela compra grande que o fez pensar antes de comprar. Pode ter sido aquele jantar de quarenta reais, uma nova TV ou até mesmo um videogame. Você parou para pensar se podia ou não pagar? Criou justificativas dizendo que mesmo não estando no seu orçamento você poderia dar um jeito? Infelizmente, se você faz esta pergunta a si é porque você realmente não tem condições de pagar.

Acessibilidade = Custo de Oportunidade

Quando você estiver se perguntando se pode se dar ao luxo de comprar, o que você está realmente pensando é o custo de oportunidade, mesmo se você não perceba isso. Isso é porque a tem a ver com decidir se o que você vai abrir a mão compensa o que está comprando. Na compra uma xícara de dois reais de café você não enfrenta a questão porque você já sabe que não vai sacrificar qualquer coisa (a menos que você esteja profundamente em dívida, compre o café a crédito e minta para si mesmo, mas isso é outra estória.

Quando se trata de uma compra maior e você começar a questionar se pode pagar, você está realmente debatendo se essa compra vale a pena pelo valor que você vai dar. O que você está dando nem sempre é óbvio. Claro, você pode colocar uma etiqueta de preço sobre ele e saber quanto vai custar, mas seu subconsciente é focado em coisas como: Afetará sua aposentadoria? Vai demorar mais tempo para saldar a dívida de cartão de crédito? Terá menos dinheiro guardado para a escolas dos filhos? E assim por diante.

Ter um produto “acessível” a você é muito mais do que querer comprar algo que custa 300 reais, vendo que você tem 500 em sua conta poupança e dizer a você mesmo que pode pagar. Tenho certeza que você já viu isso muitas vezes: você tem claramente mais do que suficiente dinheiro reservado para fazer a compra sem hesitação, mas ainda você se pega questionando se é uma boa ideia. Isso é porque algo na parte de trás de sua mente está lhe dizendo que não pode verdadeiramente se dar ao luxo. Mesmo que você não possa descobrir o porquê, use isso como uma pista mental e avalie novamente.

Você acha que enquanto sua vida continuar como é agora, poderá certamente pagar. Mas a verdadeira questão envolve o “e se”.

E se:

  • Você perder o seu emprego ou recebe um corte de pagamento?
  • O seguro aumentar?
  • Houver uma emergência financeira?
  • O mercado de ações afundar e você perder muito dinheiro?
  • Qualquer outra coisa inesperada aqui…

Quantas vezes a vida segue perfeitamente sem qualquer solavanco na estrada? Quase nunca, por isso, se estiver dizendo a si mesmo que pode pagar alguma coisa agora, saiba que, se qualquer um dos “e se” viessem a acontecer você estaria em apuros, você apenas está mentindo para si mesmo. Se algo for verdadeiramente acessível você saberia que a decisão de fazer essa compra não iria afetar negativamente a você.

Você iria se arrepender de ter comprado um café de dois reais na semana passada se você perdesse seu emprego hoje? É claro que não, porque esses dois reais ainda não iriam fazer falta na perda de renda. Você lamentaria ter comprado uma bluray player de R$ 400 na semana passada, que destruíram grande parte de suas economias de emergência, se você perdesse seu emprego hoje? Se você comprou este aparelho na semana passada mas os fundos usados foram especificamente reservados para ele e se você ainda tivesse o equivalente a três meses de despesas em seu fundo de emergência e, em seguida, se perdesse o seu emprego, como isso afetaria você?

Como você pode ver, não é o que você compra ou o que poderia acontecer no futuro. É o que você compra, é saber quão bem você está preparado para o futuro e saber o que você está dando em troca por cada compra. Mas se você começar com esse sentimento na parte traseira de sua mente lhe dizendo que há outras prioridades para cuidar, é hora de ouvir mesmo se você tem mais do que o suficiente na conta bancária para comprar.

O Teste da Acessibilidade

“Se você tem que pensar se pode ou não arcar com ele, é porque não pode”. Utilize este frase como o teste para cada compra. Se você vai comprar algo e esse pensamento não passou pela sua mente, então as chances são que ele é verdadeiramente acessível a você. Mas sempre que se achar pensando se pode arcar com ele ou não, mesmo que brevemente, pare. A mente funciona de maneiras misteriosas e está tentando dizer-lhe algo. Você não pode visualizar luzes piscando ou sinos dizendo-lhe que você não pode tirar da sua poupança  da futura aposentadoria ou que o dinheiro tme que ir para o pagamento da dívida de cartão de crédito ou que algo inesperado pode acontecer no seu futuro, mas se algo lhe faz parar para pensar, pare e ouça o que ele está dizendo.

Muitas pessoas pensam que esta estratégia significa que você só pode comprar coisas se você tem um monte de dinheiro sobrando. Isso não é exatamente verdade. A questão é a pensar criticamente sobre o que você compra e, mais importante ainda, compreender exatamente como essa compra afeta outras áreas de suas finanças. É bom saber que se você comprar alguma coisa hoje, isso pode afetar negativamente você no futuro, mas é melhor saber exatamente o que terá impacto, assim você pode dar os passos necessários para compensar o déficit.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *