Fatores a Serem Ponderados Quando da Escrita de Um Testamento


Quando Howard Hughes morreu, deixou um patrimônio de US $6 bilhões e testamento nenhum. Levou aos tribunais dez anos para classificar através de todas as reivindicações (falsas) de supostas cônjuges e filhos (Hughes estava divorciado há anos quando morreu e, tanto quanto se sabe, nunca teve filhos).

Mesmo se você não tenha as propriedades de Hughes, você com certeza não quer pessoas nos tribunais dizendo serem seu cônjuge ou filho apenas para obter uma fatia do que você deixou.

Quanto mais bem-sucedido na criação de riqueza você for, mais complexo será o planejamento.

Escreva seus desejos

Em nossa opinião, existem muito poucas pessoas que não necessitam de um testamento, mas ele é ainda mais importante para as pessoas com ativos significativos. Se você morrer sem um testamento, a distribuição de seus ativos será determinada pelas leis e essas leis não se importam com os seus desejos.

Um testamento abrange tudo o que não é abordado em nenhum outro lugar. Por exemplo, apólices de seguros exigem que você liste um beneficiário e seu testamento não afeta quem recebe esses ativos. Da mesma forma, se você fez um seguro de vida, os ativos pertencentes a ele não são afetados pelo testamento. Mas você pode explicitar como você deseja que o resto de seus bens seja distribuído em seu testamento.

Você também escolhe quem administrará seus bens, quem recebe o quê de suas propriedades e outros ativos. E, se você tem um negócio, quem irá lhe suceder ou herdar as ações do negócio.

Se você tiver filhos menores, seu testamento deve nomear um guardião para eles. Os especialistas recomendam nomear um curador para o patrimônio em nome das crianças. Pode (ou não) ser a mesma pessoa que o guardião delas. Em ambos os casos escolha alguém que você confia para cuidar bem de seus filhos e da sua herança.

Descubra o que Você Tem para Deixar

Antes de você poder alocar seu espólio entre seus vários herdeiros, você tem que descobrir exatamente o que você tem para deixar. Faça um inventário dos ativos, todos eles. Seus ativos podem incluir:

  • Contas bancárias, incluindo poupança e contas correntes
  • Cotas e Investimento
  • Imóveis, incluindo a sua casa e quaisquer outros bens imóveis, como casas de campo ou propriedade para investimento
  • Bens pessoais, incluindo roupas, móveis, eletrônicos e até mesmo coisas como material de pesca e ferramentas
  • Obras de arte, antiguidades e coleções
  • Joias
  • Veículos incluindo carros, barcos, utilitários
  • Dividendos de negócios, se for o único proprietário, parceiro ou acionista
  • Propriedade intelectual como royalties

Seu inventário pode mudar ao longo do tempo, portanto a lista que você faz, agora, deve ser revista e atualizada periodicamente. Você não quer que seus herdeiros fiquem freneticamente a procurar uma pintura vendida há anos atrás quando você estava vivo. Nem quer ve-los lutando sobre o sofá antigo que você herdou de sua tia-avó no mês passado ou o BMW que você comprou na semana passada.

Escolhendo um testamenteiro

Seu testamento nomeia um testamenteiro ou um representante pessoal, que é responsável pela distribuição de seus ativos para seus herdeiros de acordo com seus desejos. Seu testamenteiro pode ser um beneficiário de seu testamento (como um cônjuge, irmão ou filho adulto) ou ele pode ser outra pessoa (como o seu advogado ou contador). Você também pode nomear mais de um representante pessoal, se quiser, mas se você fizer isso, você também deve

  • Documentar as responsabilidades específicas de cada co-testamenteiro
  • Fornecer instruções para resolução de desacordos entre eles
  • Verifique se cada co-testamenteiro está disposto e é capaz de assumir a responsabilidade de gerenciar seus negócios finais.

Ter muitos testamenteiros não é uma boa ideia. Lembre-se, muitos cozinheiros estragam a sopa. Não complique desnecessariamente a coordenação de seu testamento com a nomeação de um grupo inteiro de testamenteiros.

Seu testamenteiro vai ter despesas associadas à realização de seus desejos, portanto considere como você deseja que esta pessoa seja paga — e quanto. Quanto mais complexo seu espólio, maior a taxa dessa pessoa.

Seu testamenteiro será responsável por organizar um inventário de seus bens, incluindo as dívidas que você deixa para trás. O testamenteiro, em seguida, pagará as dívidas e distribuirá o restante de acordo com as instruções que você deixou em seu testamento. Se as instruções não são claras ou se há uma disputa entre o testamenteiro e seus herdeiros, o problema pode ser liquidado por um tribunal, através de um processo de arbitragem ou através de outro mecanismo que você pode especificar no testamento.

Você pode colocar qualquer tipo de estrutura de resolução de litígios que quiser. Você pode dar ao seu testamenteiro a autoridade final. Você pode indicar que as partes passem pela arbitragem. Você pode até decidir que as disputas sejam resolvidas lançando uma moeda ou jogando pôquer, se quiser. Seja o que for que decidir, é uma boa ideia colocar algum tipo de instrução para lidar com divergências no seu testamento. Dessa forma, todos saberão o que fazer em caso de litígio.

Depois de ter feito sua primeira escolha para o testamenteiro, nomeie um sucessor no caso de sua primeira escolha não ser capaz de desempenhar as funções. Pode haver todos os tipos de razões porque sua primeira escolha não está disponível — doença ou morte, falta de tempo ou até mesmo falta de interesse. Não é inédito de testamenteiros se demitirem e se você não tiver nomeado um sucessor, os tribunais nomearão alguém que pode ou não pode seguir seus desejos.

Verifique se o testamenteiro e o sucessor estão dispostos e são capazes de assumir as responsabilidades de lidar com sua propriedade. Há muito trabalho burocrático e administrativo envolvido. Você deve pensar em alguém que tenha tempo e inclinação para assumir essas funções.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *